CENTRO CIRÚRGICO




 Sem sombras de dúvida, um dos mais modernos do país. Construído dentro dos preceitos técnicos da ANVISA, todo automatizado com saídas de oxigênio e de outros gases em todas as dependências do Centro. Não existe cruzamento de materiais estéreis com contaminados. Médicos, enfermeiras e auxiliares, nem mesmo os pacientes, se cruzam havendo um percurso no sentido horário evitando-se assim o encontro deles. A segurança do paciente está em primeiro lugar. Até para uma simples epilação de cílios, o submetemos aos exames básico cardiológicos e de laboratório com a presença constante da nossa anestesista dando suporte à vida. Os equipamentos, instrumental e roupas usados são esterilizados por métodos de primeira linha. O plasma de peróxido de hidrogênio, o óxido de etileno e o autoclave são usados de rotina. Por essa razão não temos infecção pós cirúrgica, mormente nas grandes cirurgias onde o globo ocular foi aberto (catarata, glaucoma, vitrectomia, etc.).



CUIDADOS NO PRÉ-OPERATÓRIO

Detalhar

     Em qualquer situação que haja necessidade cirúrgica, desde uma simples epilação de cílio, e mesmo com anestesia tópica, o paciente deverá submeter-se aos exames pré-operatório. Generalizando são os seguintes:

  • - Exames cardiológico onde o especialista deverá constar o grau do risco e as medicações não permitidas;
  • - Exames laboratoriais com evidência na glicemia a qual deverá, em qualquer situação ser inferior a 150 mg/dl em jejum; Diferente desse valor o paciente deverá anexar laudo do endocrinologista;
  • - De posse desses exames o paciente deverá mostrá-los a nossa anestesista, e só com o seu aval a cirurgia será agendada;
  • - Por escrito lhe é entregue a medicação que deverá usar, com todos os horários especificados, inclusive orientação sobre a medicação que usa e também daquelas que começam antes e terminam até 30 dias depois da cirurgia, além do horário que deverá chegar ao Hospital;
  • - Orientação sobre higiene pessoal e horário da alimentação;


CUIDADOS NO PER-OPERATÓRIO (trans-operatório)

Detalhar

    O acesso ao bloco cirúrgico será feito após os seguintes cuidados:

  • - Observação e preenchimento pela enfermagem de questionário onde se tem conhecimento do uso correto das medicações prescritas anteriormente;
  • - Conhecimento de higiene pessoal e horários das últimas refeições
  • - Ao adentrar ao bloco cirúrgico o paciente é paramentado com vestiário próprio, descartável – avental, pro – pé, touca etc. – e oferecido a sua ida ao sanitário tudo em ambiente próprio., onde ficam no aguardo da sua condução para a sala de anestesia e a sua posterior ida para sala cirúrgica.
  • - Durante a cirurgia o paciente é monitorizado e oxigenado adequadamente.
  • - Com término da cirurgia o paciente é levado ao ambiente de recuperação onde deverá ficar por alguns minutos até que a anestesista, que cuida da sua saúde geral, o libere para ter alta hospitalar.
  • Na saída do bloco o paciente é entregue aos acompanhantes (familiares) e levado para a sua residência.


CUIDADOS NO PÓS-OPERATÓRIO

Detalhar

No dia seguinte à cirurgia o paciente voltará ao Hospital onde terá uma palestra rápida sobre a sua cirurgia e os cuidados referentes ao comportamento pessoal, tal como esforços, alimentos, etc.

  • - Nas cirurgias de catarata serão fornecidos óculos escuros, estéreis, diminuído o impacto da luminosidade intensa que irão se deparar. Esses óculos serão devolvidos uma semana após, data em que será feita nova revisão cirúrgica.
  • - O paciente é orientado para cirurgia do olho contralateral aproveitando os exames clínicos dentro do prazo de 90 dias. Depois desse período todos os exames serão renovados.
  • - Quando o paciente operado tiver alta após a sua convalescença, nova data de exame se faz necessário para a verificação do resultado cirúrgico e a conseqüente prescrição de óculos ou medicamentos, se for o caso.


FILTRAR: A |B |C |D |E |F |G |H |I |J |K |L |M |N |O |P |Q |R |S |T |U |V |W |X |Y |Z |      Créditos

APLICAÇÃO INTRAVÍTREA DE ANTIANGIOGÊNICO


Essa aplicação, método mais eficaz no tratamento de doenças vítreo-retinianas.
Detalhar

APLICAÇÃO INTRAVÍTREA DE ANTIBIÓTICO


Utilizados em casos de endoftalmites quando já envolve estruturas nobres vítreo-retinianas.
Detalhar

APLICAÇÃO INTRAVÍTREA DE TRIANCINOLONA


O tratamento em curto prazo do edema macular refratário, quando diz respeito a espessura macular verificada em OCT.
Detalhar

AUTOTRANSPLANTE CONJUNTIVAL EM PTERÍGIO


Também conhecido como “carnosidade” ou “vilídea” dentre outros apelidos, o pterígio é formado por uma porção da conjuntiva de forma triangular que dividimos em 2 porções:
Detalhar

CATARATA - Facectomia com implante de L.I.O


A opacificação do cristalino, nome técnico da catarata, condição que até pouco tempo deixava a população com deficiência visual grave.
Detalhar

CIRURGIA DE TUMOR DE CONJUNTIVA


Nos tumores conjuntivais são feitos a exérese da tumoração com boa margem de segurança e a aproximação das bordas com a respectiva sutura.
Detalhar

CIRURGIA DE TUMORES BENÍGNOS DA PÁLPEBRA


A retirada de tumores palpebrais são imprescindíveis sob o ponto de vista estético e preventivo.
Detalhar

CIRURGIA DE TUMORES MALÍGNOS DA PÁLPEBRA


Os tumores malignos são tratados com o maior cuidado, tanto na sua exérese com uma grande margem de segurança.
Detalhar